fbpx

Agende sua consulta

Edit Template

Tudo que você precisa saber sobre cesariana

É comum as pessoas acharem que médicos humanizados são contra a cesariana. Porém, de modo algum isso condiz com o que acredito. Eu sempre digo que não sou contra a cesariana, muito pelo contrário. Sou a favor da cesariana humanizada e bem indicada. 

A cesariana é uma cirurgia linda e salva vidas todos os dias. Salvou a minha vida e a dos meus filhos! Veja meu relato de parto aqui.

Eu não sou contra a cesariana! De jeito nenhum! Já fiz inúmeras. O que sou contra é a realização da cesariana sem que a mulher tenha esse desejo, sem que a mulher tenha feito essa escolha, sou contra a indicação é feita sem necessidade e por motivos que não condizem com as recomendações do  Ministério da Saúde, da Organização Mundial da Saúde (OMS), da ACOG (American College of Obstetricians and Gynecologists) e de outros competentes órgãos de saúde e Obstetrícia. 

Taxas de cesarianas recomendadas pela OMS versus taxas no Brasil

Cerca de 90% das mulheres podem ter um parto vaginal sem nenhuma contraindicação ou complicação. 

Sabia que o Brasil é o país que mais realiza cesariana em todo o mundo? A taxa chega a assustadores 90% nos hospitais particulares!

Sendo que a OMS considera desde 1985 que a taxa ideal de cesáreas deve ficar entre 10% e 15% de todos os partos realizados.

Como eu disse, a Cesariana é maravilhosa e salva vidas todos os dias, mas é uma cirurgia e como toda cirurgia deveria ser feita sob indicação. 

É muito comum eu receber relatos de pacientes que sentem que tiveram seu parto “roubado”, pois sonhavam com uma parto normal e sem “mais nem menos” receberam uma indicação de cesariana que não condizia com as reais indicações 

Por que no Brasil as taxas de cesariana são tão altas?

342961fa a4f5 4cb2 ad32 3b6cf2d89721 Tudo que você precisa saber sobre cesariana

Já parou para pensar, por exemplo, por que a cesariana costuma ser a primeira indicação de parto no nosso País?

Trata-se mesmo de uma questão cultural, de um senso comum de que é mais seguro para a mãe e o bebê. Porém, o parto normal é que deveria ser o “normal”, ou seja, o mais comum, o praticado. Afinal, o nome já diz tudo: “normal”. O corpo da mulher é preparado para isso! 

A cesariana somente é indicada quando existe alguma contraindicação ao parto vaginal, por motivos simples: manutenção do bem-estar materno e fetal (do bebê). 

Você sabia disso?

Contudo, no Brasil é comum motivos diversos se tornarem indicação de cesariana. Como por exemplo, a disponibilidade do(a) médico(a). É muito comum, vermos mulheres optando pela cesariana, por exemplo, porque querem ter seu bebê com um médico de confiança e mão querem “correr o risco” de ter o parto normal em um dia em que o médico não pode ir, elas preferem marcar a cesariana no dia em que o médico “opera”. 

As equipes médicas de parto humanizado não trabalham assim. Elas ficam disponíveis 24h por dia, mesmo sendo final de semana ou feriado. Os(as) médicos(as) humanizados(as) remanejam agenda, compromissos pessoais e se desdobraram para esse atendimento humanizado.

Na série de documentários “O Renascimento do Parto” você poderá compreender melhor essas questões da “mecanização do nascimento”. 

Em quais casos a cesariana é indicada?

Tecnicamente a cesariana somente é indicada quando existe alguma contraindicação ao parto vaginal, por motivos simples: manutenção do bem-estar materno e fetal (do bebê).

A cesariana é e sempre deve ser uma segunda opção. Vemos uma inversão na nossa cultura. 

Então, vamos conhecer as indicações reais de cesariana, segundo a Medicina:

Indicações maternas:

  • Inserção placentária anormal (quando a placenta está sobre o colo uterino, obstruindo o canal de parto);
  • Infecções maternas com risco elevado de transmissão para o bebê;
  • Cirurgias prévias no útero;
  • Iminência de rotura uterina;
  • Massa obstruindo a vagina (impossibilitando a passagem do bebê);
  • Câncer invasor do colo uterino;
  • Fístulas reto-vaginais corrigidas.

Indicações fetais (do bebê):

  • Bebê com face e queixo voltados para o sacro materno;
  • Vitalidade do bebê comprometida;
  • Diminuição do batimento cardíaco fetal no momento do trabalho de parto fora do período expulsivo;
  • Prolapso do cordão umbilical (quando o cordão está vindo antes da cabeça do bebê na vagina);
  • Malformações do bebê, que o impedem de passar pela vagina.

E quando a mulher tem o desejo de ter uma cesariana? Isso é uma indicação?

Uma indicação médica não, mas na humanização preconizamos o respeito ao desejo e as escolhas da paciente em conjunto com uma orientação clara dos riscos e benefícios de cada via de parto. 

Riscos da cesariana que pouco se fala

Você sabia que a cesariana possui riscos? Pouco se fala sobre isso, mas é preciso lembrar que a cesariana é uma cirurgia e como toda cirurgia possui riscos, como por exemplo:

  • A paciente pode apresentar aderências;
  • Possibilidade de inserção de outros órgãos em algumas localizações que não se encontravam antes, aumentando risco de lesão;
  • Maior probabilidade de hemorragia e infecção; 

Todas as complicações que tememos nas primeiras cesarianas são aumentadas na 2ª ou 3ª, e assim por diante.

Para toda cirurgia, a medicina realiza o procedimento chamado de “risco cirúrgico” (um conjunto de avaliações relacionadas às condições clínicas do paciente), mas com a cesariana isso não acontece. 

As complicações gestacionais (para as próximas gestações) também existem porque cesarianas anteriores podem levar à implantação anormal da placenta ou à placenta prévia, que aumenta risco de sangramento e o risco do neném crescer menos. 

Os estudos mostram que existe, ainda, aumento do risco fetal, tanto de mortalidade quanto de morbidade. 

Portanto,é sempre muito importante conhecer os riscos e benefícios de cada via de parto e conversar sobre eles com o(a) seu(sua) médico(a). Assim, é possível fazer uma escolha mais consciente e tranquila. 

Legislação sobre cesariana eletiva⠀

Muitas gestantes têm dúvidas sobre a cesariana eletiva (quando a cesariana é agendada pelo médico).

A cesariana eletiva é um direito da mulher, mas existem normas que devem ser cumpridas.

A Resolução nº 2.284/20 do Conselho Federal de Medicina (CFM)  traz a definição exata do período gestacional que, após cumprido, permite ao médico, eticamente, atender à vontade da mulher de realizar parto cesariano, nas situações de risco habitual. Pela norma, esse procedimento pode acontecer a partir da 39ª semana completa de gravidez.

A norma foi editada para garantir a segurança do feto e dirimir eventuais dúvidas sobre a delimitação da idade gestacional. Por meio dela, o CFM ressalta que a cesariana a pedido da gestante somente pode ser realizada a partir do 273º dia de gestação, devendo haver registro em prontuário. 

Segundo, Ademar Carlos Augusto, conselheiro relator da resolução e coordenador da Câmara Técnica de Ginecologia e Obstetrícia (CTGO) do CFM: 

“O cálculo da idade gestacional é baseado na regra de Naegele, que estima a duração da gravidez em 280 dias, e postergar a interrupção eletiva da gestação por cesariana até se completarem as 39 semanas reduz principalmente o risco neonatal de morbidade respiratória”. 

A resolução ainda exige que caso a mulher opte pela cesariana eletiva: 

“A decisão deve ser registrada em termo de consentimento livre e esclarecido, elaborado em linguagem de fácil compreensão, respeitando as características socioculturais da gestante.”

E se o parto for cesariana, é possível que ela seja humanizada?

Caso a cesariana seja realmente necessária ou seja a via de parto escolhida, podemos e devemos fazê-la de forma humanizada. 

A cesariana humanizada é o cuidado de se fazer um parto cirúrgico em um ambiente cercado de carinho, respeito e amor à mulher e ao recém-nascido.

A cesariana possui uma técnica cirúrgica bem estabelecida, mas a questão é como ela é realizada. O que define o parto humanizado é o “como”? E não o tipo de parto?

É totalmente possível fazer uma cesariana humanizada, algumas ações que podem ser tomadas:

  • Colocar a luz mais baixa, com foco para o(a) médico(a), não para o rosto da mulher;
  • Providenciar a playlist que ela gosta para tocar;
  • Ter o acompanhante dentro da sala de parto durante todo o tempo do nascimento do bebê;
  • Quando o bebê nascer, ser possível abaixar o campo da cirurgia para a mamãe ver o nascimento — não necessariamente ver o corte e o sangue, mas a chegada do seu filho;
  • O pediatra levar o bebê até a mulher logo depois do nascimento, se assim for possível;
  • Estimular o contato pele a pele, não é porque ela está sendo operada que precisa ficar longe do seu bebê;
  • Estimular a amamentação na primeira hora de vida: enquanto a mulher está sendo operada, pode ser estimulada a amamentar para que haja a manutenção do vínculo com o bebê na primeira hora de vida”.

Uma cesariana humanizada é aquela em que os cuidados com o bebê também são respeitados, como: a mulher optar por não dar banho no bloco cirúrgico, estar perto dela na maior parte do tempo possível e receber um ambiente acolhedor.

Além disso, é essencial atentar-se à questão das conversas paralelas, respeitando o silêncio, conversando mais baixo e sobre assuntos que tenham a ver com o momento da mulher e seu bebê.

Seja qual for a forma de trazer seu filho ao mundo, você merece um parto repleto de cuidado, amor e respeito; o mais humanizado possível!

Quer ser acompanhada por mim em sua gestação e no seu parto?

Entre em contato via WhatsApp clicando no botão para agendarmos uma consulta.

Conheça aqui histórias de pacientes minhas que viveram uma cesariana humanizada

Conclusão

A cesariana é uma cirurgia linda e salva vidas todos os dias. Contudo, é muito importante entender os riscos e benefícios antes de escolhê-la sem que haja realmente uma indicação. 

Por isso, mamãe pense melhor, converse bastante com sua equipe, questione e pesquise muito! 

Sinta no seu coração o que será melhor para você e o bebê! E caso, sua escolha seja pela cesariana, procure alguém que possa fazê-la de forma humanizada.

Conte comigo, será um prazer lhe acompanhar. 

Compartilhe esse post, ajude outras mulheres! Informação é poder!

Agora me conta nos comentários: qual tipo de parto você deseja ter?

Compartilhe

2 Comentários

    Deixe seu comentário

    Quem sou eu

    Sou realizada por de cada coração que consigo tocar, com amor, respeito e apostando em uma
    assistência de qualidade!

    Receba Notificações

    Cadastre seu e-mail.

    Você foi inscrito com sucesso! Ops! Alguma coisa deu errado. Por favor tente outra vez.

    Mais vistos

    • All Post
    • Bebê
    • Cesariana
    • Gestação
    • Maternidade
    • Parto Humanizado
    • Parto Normal
    • Pré-natal
    • Puerpério
    • Relatos de Parto
    • Uncategorized
    • VBAC

    Instagram

    Agende sua consulta

    Edit Template

    Contato

    Recomendados

    • All Post
    • Bebê
    • Cesariana
    • Gestação
    • Maternidade
    • Parto Humanizado
    • Parto Normal
    • Pré-natal
    • Puerpério
    • Relatos de Parto
    • Uncategorized
    • VBAC

    Copyright © 2024 Dra. Marina Mariz